Quarta-feira, 1 de Abril de 2009

A propósito do dia das mentiras

A história que se segue é pura ficção e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência:

 

Era uma vez um boneco de madeira que se chamava Pinóquio e que era filho de um velho e pobre carpinteiro chamado Guepeto.

Pinóquio era muito traquina. Aqui ficam algumas das suas peripécias:

- Assim que Guepeto lhe faz as pernas, o Pinóquio desata a fugir.

- Na rua arma escândalos e, à sua conta, Guepeto é preso.

- Quando o Grilo Falante tenta dar-lhe conselhos Pinóquio, pouco tolerante, atira-lhe um martelo e esmaga-lhe a cabeça.

- Na rua, apanha uma chuvada gelada e, para se aquecer, acende uma fogueira e mete lá os pés. Resultado, queimou-os todos.

- Quando Guepeto chega a casa e pergunta o que aconteceu, Pinóquio mente e diz que os seus pés foram comidos por um gato.

- Quando tem fome queixa-se e aceita de bom grado as únicas três peras que o velho Guepeto tinha para o seu almoço, não se importando que o seu pai deixe de comer para lhe dar.

- Guepeto quer que Pinóquio estude e, para lhe poder comprar o livro da escola, Guepeto faz um enorme sacrifício e vende o seu único capote de inverno. Pinóquio fica radiante.

- No primeiro dia de aulas, Pinóquio “balda-se” e resolve ir antes ao teatro. Para comprar o bilhete, vende o livro que Guepeto com tanto sacrifício lhe oferecera.

- Ao saber que o pai de Pinóquio é pobre, o director do teatro dá-lhe 5 moedas de ouro. Pinóquio decide que, com esse dinheiro, irá comprar um novo livro para a escola e um novo capote para Guepeto.

- No caminho para casa, Pinóquio encontra dois aldrabões que o convencem que, se plantar as 5 moedas de ouro, nascerão 2.500 iguais. Ganancioso, Pinóquio não resiste…

- Antes de plantar as moedas, Pinóquio oeferece um grande manjar aos dois aldrabões, que julga seus amigos.

- Ao voltar para casa Pinóquio adoece e, quando tentam dar-lhe remédios, ele rejeita porque sabem mal, aceitando apenas comer açúcar.

- Quando vai à procura das prometidas 2.500 moedas de ouro que deveriam estar no lugar das que plantara, Pinóquio apercebe-se que fora enganado e roubado.

- Faz queixa ao juiz mas, como é muito mal criado, acaba preso.

- Por sorte o rei da sua cidade festeja uma vitória nesse dia e, muito contente, decide mandar soltar todos os prisioneiros.

 

 

De repente, não sei porquê, também me lembrei da história do Pedro e do Lobo, mas essa deixo para contar daqui a seis meses.

publicado por Maria Pia às 00:20
link do post | comentar

.Maria Pia Bonneville

.Junho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Michael Jackson

. Parlamento Europeu

. A não perder

. A impotência do Homem per...

. Quem diz o que quer...

. A impotência do Homem per...

. Excentricidades

. E quem fala assim não é g...

. Curioso

. Porto igual a si mesmo

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds